5 princípios da filosofia lean para aplicar em qualquer tipo de processo

na imagem vemos a palavra "lean" centralizada e em volta dela há ícones como uma lâmpada, um conjunto de engrenagem, o símbolo do seis sigma, um cérebro e outros não identificados.

Os 5 princípios da filosofia lean ajudam a desenvolver o pensamento enxuto dentro das organizações. Essa espécie de fórmula foi definida por Womack e Jones, autores do livro The Machine that changed the world, obra que popularizou o termo lean pelo mundo.

Se você acompanha o nosso blog, já sabe que o lean surgiu em meio às práticas de manufatura, porém, hoje, seu conjunto de valores é aplicado em praticamente todos os tipos de processos, seja em maior ou menor escala. 

Desenvolver o pensamento enxuto ajuda a construir uma cultura de aperfeiçoamento de processos focada em eliminar desperdícios e melhorar a qualidade. Por isso, esse é um tema tão importante para qualquer gestor.

Continue a leitura e descubra quais são os 5 princípios da filosofia lean.

Leia mais: Lean Six Sigma – o segredo dos processos (quase) perfeitos

Quais os cinco passos do pensamento enxuto?

Na imagem, vemos um círculo ligado a cinco caixinhas. No círculo está escrito "princípios lean", nas caixinhas está escrito o nome de cada princípio: definir valor;mapear o fluxo de valor;criar um fluxo de trabalho contínuo;usar um sistema puxado;buscar a perfeição.

Segundo o Womack e Jones, os cinco princípios lean são:

  • Definir valor;
  • Mapear o fluxo de valor;
  • Criar um fluxo de trabalho contínuo;
  • Usar um sistema puxado;
  • Buscar a perfeição.

Definir Valor

O lean é focado em entregar aquilo que o cliente deseja, sendo assim, o primeiro de todos os princípios determina que devemos entender o que ele quer, pelo que ele pagaria e o que o deixaria feliz. Para isso, é necessário conhecer a fundo seus problemas, dores e desejos que podem ser atendidos pelo seu produto. 

Se for necessário, ajuste o seu produto final para entregar apenas aquilo que realmente tenha valor agregado para o cliente. Por exemplo, se você usa uma embalagem mais cara, mas o cliente nem ao menos se importa com isso, você pode eliminar ou substituir essa embalagem, pois ela significa desperdício.

Mapear o fluxo de valor

Tendo em vista o princípio anterior, é necessário mapear o fluxo de valor. O que isso significa? Que você precisa identificar a sequência de atividades necessárias para o processo, desde o pedido até a entrega. 

Esse fluxo também deve ser baseado no que agrega valor para o cliente. Exemplo: em um processo burocrático, que tem mais etapas que o necessário, o cliente está disposto a pagar pelo tempo que o processo ficou parado? Com certeza não. Então, se não há uma boa razão para manter determinadas etapas, é melhor eliminá-las. Sempre.

Criar um fluxo de trabalho contínuo

Depois de eliminar os desperdícios, é hora de reavaliar as etapas que sobraram para criar um fluxo de trabalho justo e fluido. A ideia é construir uma sequência que funcione sem gargalos e com etapas que realmente tenham valor agregado para o cliente.

A disciplina que pode te ajudar a ter êxito nessa missão, nas áreas de negócios, é o BPM (business process management). Através desse campo de estudo, além de aperfeiçoar seus processos você também será capaz de automatizá-los com diversas ferramentas que se baseiam nas técnicas do BPM.

Usar um sistema puxado

Produção puxada significa produzir apenas quando houver uma real demanda. Essa é uma forma de evitar desperdícios com estoque, espera e transporte. Nesse contexto, o cliente é quem “puxa” a produção, e a empresa tem a oportunidade de concentrar os esforços no que realmente precisa ser feito. Sempre devemos lembrar que o lean se trata de uma técnica de gestão enxuta, ou seja, trabalhamos com a essencialidade.

Buscar a perfeição

A melhoria contínua se trata de perseguir a perfeição dos processos. No lean este é um princípio importante, tanto quanto em BPM ou qualquer outra disciplina de gestão. Revisar os fluxos de trabalho não deve ser algo pontual. É necessário estabelecer uma política, uma prática e um calendário a ser seguido a respeito desse tema.

Por isso, o aperfeiçoamento contínuo deve ser parte da cultura da empresa, de modo que as pessoas se envolvam e impulsionem as iniciativas.

Aplique os princípios da filosofia lean nos seus processos!

No artigo de hoje você conheceu os 5 princípios da filosofia lean. Agora que você conhece esses valores, que tal se aprofundar ainda mais nessa forma de gestão? Você pode começar eliminando alguns desperdícios. 

Para te ajudar, preparei um artigo sobre os 7 desperdícios lean nas áreas de negócios. Clique e leia mais.

Conheça 7 desperdícios lean nas áreas de negócios