Gestão de processos em hospitais: quais os benefícios do BPMS no setor da saúde

na imagem temos um médico satisfeito atendendo uma paciente, ele está sorrindo e olhando para ela enquanto segura uma prancheta e uma caneta. A gestão de processos em hospitais ajuda a liberar os médicos de tarefas manuais para que eles possam focar em atender os pacientes da melhor forma.

A gestão de processos em hospitais é essencial para ajudar as instituições a atenderem a sua expectativa de aprimorar rotinas administrativas ao mesmo tempo que continuam investindo no atendimento ao paciente. 

Na saúde, produtividade e eficiência são essenciais para sobreviver e prosperar. O Business Process Management (BPM) é a base que permite fazer mais com menos recursos garantindo ainda a rápida adaptação às mudanças.

Um bom gerenciamento de processos de negócios pode fornecer uma visão clara das atividades em todos os sistemas, incluindo faturamento, contabilidade e outros softwares legados. 

Uma boa gestão de processos combinada a um sistema BPMS pode ajudar a enfrentar a  complexidade dos hospitais, que  naturalmente possuem ambientes muito variáveis, com mudanças rápidas de práticas recomendadas, alto volume de dados, vários participantes nos fluxos, processos críticos, recorrência de silos e dificuldades de interoperabilização.

Neste artigo falaremos um pouco mais sobre os benefícios da gestão de processos em hospitais e do uso do BPMS no setor da saúde.

 

O que é BPMS

A gestão de processos é uma disciplina pela qual as empresas conseguem estudar a forma como elas executam seus processos de trabalho para propor práticas, métodos e sistemas que possam melhorá-los.

Dentro do BPM, temos os BPMS, que são softwares de gerenciamento de processos de negócios (BPM) — que incluem fluxos de trabalho (BPMN), automatização, integração, regras de negócios e mais um combo de recursos que depende de cada fornecedor. 

Essas ferramentas ajudam as instituições a terem um desempenho maior porque ampliam a capacidade dos processos aumentando também a produtividade da equipe e liberando as pessoas de diversas tarefas manuais. 

Mas não é só isso, um benefício que parece agradar bastante os gestores hospitalares é a capacidade que os BPMS têm de documentar e rastrear dados em tempo real, o que melhora o compliance e o cumprimento das regras. 

Isso representa mais visibilidade , padronização e  interoperabilidade nos hospitais, o que ajuda as pessoas do dia a dia e os gestores dos processos a enfrentarem os desafios operacionais atuais já visando melhorias futuras. 

 

Por que usar o BPMS no setor da saúde?

As organizações de saúde precisam continuamente atender diversas normas e práticas recomendadas para garantir a conformidade com os regulamentos do setor e, assim, suas diminuir possíveis impactos negativos. 

A gestão de processos em hospitais permite a implementação de uma cultura de melhoria contínua que, combinada à automação de processos, pode reduzir custos, negligências e ineficiências. Além disso, com regras predefinidas, o BPMS melhora a tomada de decisões, evitando que as pessoas tenham que decorar regras, o que facilita futuros treinamentos.

O BPM pode ser uma boa alternativa tanto para processos que estejam diretamente ligados aos pacientes, como recolhimento de documentos e assinatura para algum tipo de procedimento, quanto em processos administrativos.

A ideia do sistema é basicamente conectar a pessoa certa com a tarefa e os dados certos no momento correto, ao mesmo tempo em que oferece a capacidade de adaptar rapidamente os processos aos requisitos em constante alteração.

Com o BPM, a qualidade do atendimento ao paciente e a eficiência administrativa não precisam conflitar nos processos de saúde. A gestão de processos em hospitais com BPMS pode ajudar a:

 

  • Aplicar processos com regras predefinidas para reduzir erros e melhorar a segurança dos dados dos pacientes, colaboradores, fornecedores, e etc.
  • Automatizar tarefas com baixo valor agregado, como agendamento de notificações, permitindo que os médicos concentrem-se no atendimento ao paciente;
  • Monitorar, prever e melhorar os processos de atendimento em andamento, não após a alta do paciente;
  • Prevenir e alertar sobre gargalos durante os fluxos;
  • reduzir o desperdício nos processos relacionados ao tempo de espera, materiais e recursos; 
  • Ajudar a reduzir o uso de papel, a gestão de documentos e dados;
  • Garantir a conformidade para reduzir a burocracia administrativa.

 

Esses são alguns dos motivos para você querer utilizar a gestão de processos em hospitais com BPMS. Agora que você chegou até aqui, que tal continuar entendendo os principais conceitos do BPM?

Leia o artigo: O que é BPM, BPMN e BPMS e para que serve cada um?