Reading:
Fit cultural: Como conseguir o “match perfeito” entre um candidato e a empresa?

Fit cultural: Como conseguir o “match perfeito” entre um candidato e a empresa?

25 de março de 2020

Fit cultural é uma espécie de nivelamento para identificar candidatos que partilham dos mesmos valores da empresa antes de realizar a contratação. Este é um dos fatores que pode aumentar a probabilidade de encontrar colaboradores com aquele “match perfeito”.

Mesmo sendo uma prática bem importante, existem muitas empresas que ainda não a aplicam, então eu vou mostrar para você a importância de medir o ajuste cultural do candidato e como fazer isso.  

O que é fit cultural?

 Incompatibilidade é uma coisa que destrói relacionamentos todos os dias, seja entre casais, amigos e até nas relações trabalhistas, mas não deveria ser assim. O ideal era que relações incompatíveis entre pessoas, sejam físicas ou jurídicas, nem começassem.

Claro que na vida real nem tudo é “preto no branco” e às vezes um relacionamento acontece , mesmo que com incompatibilidade. Até porque, ninguém vai chegar no crush com um formulário de pesquisa para saber se vai dar certo, não é mesmo?!

Pois é, no amor concordamos que é melhor cada um seguir seu coração, mas nas relações trabalhistas dá pra ser muito mais prático e evitar relacionamentos incompatíveis avaliando o fit cultural dos candidatos antes da contratação, sabia?

Fit cultural, ou ajuste cultural, é o alinhamento entre os comportamentos e crenças dos colaboradores com a cultura da organização. É um forma de encontrar o “match” perfeito, ou seja, candidatos com maiores chances de prosperar na empresa.

Afinal, assim como as pessoas, as empresas também têm sua personalidade, gostos, aspirações e valores que se traduzem na cultura organizacional. Quando os colaboradores não partilham dessa cultura todos no time sentem que algo não está bem.

É como disse Mark Babbitt, fundador e CEO da YouTern:

“Precisamos contratar pessoas que realmente se importam com o time e não aquelas que aparecem para trabalhar todos os dias apenas para receber um salário”.

É das pessoas que se importam que todas as empresas estão atrás, mas como encontrá-las e porque essa necessidade está cada vez maior?

A importância de medir o fit cultural

Segundo Lauren Kolbe, fundadora da Kolbeco, uma agência de branding:

“Um funcionário que não está alinhado com a cultura e não está comprometido com a empresa pode causar estragos muito rapidamente, mesmo que traga uma grande quantidade de habilidade e experiência ao seu ofício”. 

Encontrar as personalidades que podem se encaixar perfeitamente na organização traz diversos benefícios como maior produtividade das equipes, ambiente mais agradável, retenção de talentos e diversos outros.

Mas como medir o fit cultural de forma prática durante uma contratação? Antes de qualquer coisa é necessário compreender muito bem a cultura da sua organização. Você é capaz de descrever quais são os valores, práticas e características principais do seu negócio?

Com essas respostas reflita em pelo menos três comportamentos essenciais que um colaborador necessita para contribuir com o sucesso da empresa. Essa é uma orientação que Rebecca Barnes-Hogg, da empresa de consultoria Yolo insights dá a seus clientes.

Após esse passo é importante incluir esses valores em todo o material de comunicação, inclusive nas vagas de emprego publicadas. Esse detalhe é fundamental para gerar gerar identificação com os candidatos certos.

Claro que isso não significa que apenas as pessoas que realmente possuem o fit cultural com a sua empresa farão a candidatura, mas é um excelente filtro para começar. 

Como descobrir se o candidato é seu “match” perfeito?

Falar dos valores da organização deve ser algo contínuo, desde o primeiro contato com o candidato e até durante a entrevista.  Todas as pessoas envolvidas neste processo devem ter essa consciência para reforçar com naturalidade a cultura organizacional.

No entanto, só falar e perguntar para o próprio candidato se ele tem determinado valor e atitude não é o suficiente, afinal, ele pode falar apenas o que você quer escutar. Por isso existem “perguntas chave” que podem te ajudar.

Essa perguntas chave podem ser colocadas em um formulário pré-entrevista. Muitas empresas estão encaminhando suas pesquisas para o candidato responder antes mesmo da entrevista oficial, outras preferem fazê-las pessoalmente.

 As melhores perguntas para entender o comportamento de alguém são as situacionais, em que nas respostas é possível identificar como o candidato se comporta em diferentes situações.

Alguns exemplos de perguntas situacionais para medir o fit cultural são:

  • Existe algo que você não suporta no ambiente de trabalho?
  • O que te deixa empolgado para ir ao trabalho?
  • Quais atividades gosta de fazer nas horas vagas?
  • Você já enfrentou um grande desafio no ambiente de trabalho? Como você superou?
  • Você prefere trabalhar sozinho ou com uma equipe?

Essas questões são apenas exemplos de perguntas situacionais, não servem para todas as empresas, é importante que você escolha as que têm relação com seus valores.

Diante disso não existem respostas certas ou erradas, existem aquelas que correspondem ao que a empresa espera do candidato. Mas será que isso é o suficiente?

O problema de entrevistas

A entrevista é considerada por muitos o ponto central para identificar todas as coisas que esperamos de um candidato, mas na prática sabemos que em 1h de conversa não dá para saber tudo de uma pessoa.

 No uso das perguntas chave, por exemplo, é importante tomarmos muito cuidado para não trilharmos um caminho óbvio, onde o entrevistado já tenha de antemão a resposta montada para questões relacionadas à cultura. 

Uma sugestão de Babbit para driblar essa situação é mostrar ao candidato a empresa acontecendo em tempo real, dando uma volta com ele pelo escritório, mostrando o local de trabalho e os principais membros da equipe.

Feito isso, você pode voltar para a sala de entrevista com ele, já mais descontraído, e lhe fazer a pergunta:  “O que você estava pensando enquanto atravessávamos o escritório hoje?”

O objetivo, segundo Babbitt, é buscar sempre uma resposta mais específica através de um roteiro de perguntas menos convencional.

Além disso,  também é possível buscar testes de personalidade especializados, oferecidos por muitas empresas de consultoria. Essa é uma ótima alternativa para trazer à luz o comportamento do candidato em questão. 

Nem sempre acertaremos neste processo, mas se esta atenção ao fit cultural não for incorporada aos processos de contratação, será cada vez mais difícil para as empresas encontrar os candidatos ideais.

Lembre- se desta última recomendação de Babbitt que deixo para você hoje:

“Não contrate alguém que se preocupe com seu trabalho, carreira e indústria. Contrate essa pessoa muito rara, cuja paixão já foi comprovada por suas ações”.

Espero que este artigo tenha te ajudado a enxergar a importância de medir o Fit cultural entre colaborador e empresa. Gostou deste conteúdo? Comente aqui com a sua dúvida ou apenas deixe a sua opinião. 🙂

Leia também: Descubra se você tem um RH ágil ou tradicional!

Comentários do Facebook

Related Stories

Rh ágil X Rh tradicional
19 de março de 2020

Descubra se você tem um RH ágil ou tradicional!

Como engajar equipes à distância na crise?
30 de março de 2020

Como engajar equipes a distância na crise?

Arrow-up