9 erros na gestão de TI que impedem o sucesso dos seus projetos!

Erros na Gestão de TI

 Qual o papel da TI nas organizações? Você consegue imaginar quanto tempo e dinheiro as empresas podem economizar com o apoio da tecnologia? As instituições, grandes ou pequenas, estão mergulhando em um mundo cada vez mais digital e, nesse contexto, as áreas de tecnologia ganham mais protagonismo para impulsionar os negócios. Por isso, hoje eu vou te mostrar 9 erros na gestão de TI que você precisa evitar se quiser alcançar o sucesso nos projetos do seu time. 

Será que você está cometendo essas falhas ou enfrentando esses desafios na sua empresa? Continue a leitura para descobrir.

9 erros na gestão de TI que atrapalham o sucesso dos seus projetos

1- Falhas de comunicação com a área de negócios ou com os clientes

Tirinha sobre um dos erros na gestão de TI: Falhas de comunicação com a área de negócios ou com os clientes

 A comunicação com outras áreas é um velho desafio já conhecido da TI. A tirinha acima deixa claro, de uma forma bem humorada, o que acontece durante o desenvolvimento de soluções  onde os agentes entendem o problema de perspectivas diferentes.

 Tenho certeza que você já viu acontecerem situações assim: O cliente, ou área de negócios, descreve o problema a ser resolvido, a TI entende tudo errado e,  ao final do projeto, chegam com uma solução que não é exatamente o que ele precisava. 

 Isso acontece por vários motivos, o mais comum é que o cliente nem sempre sabe o que realmente precisa, mas também temos que considerar a possibilidade da TI não ter investigado o cenário com profundidade.  Para evitar isso é preciso ir além da superficialidade, desenvolvendo a escuta ativa e, principalmente, a sensibilidade para entender o trabalho e a necessidade do profissional de negócios. 

 Esse é um dos principais erros na gestão de TI: negligenciar a comunicação entre as áreas durante um projeto, sem se esforçar em encontrar a causa raiz do problema para propor uma solução mais adequada.

2- Negligenciar a gestão dos fornecedores

 Um dos erros de TI mais sutis está no relacionamento com fornecedores de soluções. Existe um dilema que leva a governança de TI a se questionar se é melhor ter um único fornecedor,  para centralizar o relacionamento, ou ter muitos para não ficar dependente de apenas um.

  É comum que o fornecedor, após um tempo de fechamento do contrato, queira expandir os serviços oferecendo outras soluções, através de propostas financeiramente atraentes à organização.

 Para o caixa da empresa essa pode ser uma boa alternativa, mas centralizar os recursos tecnológicos em um terceiro pode tornar a TI interna uma “refém” do fornecedor de estimação. Isso significa estar à mercê da boa vontade dele em aproximar a empresa das novidades do mercado.

O ideal é procurar um meio termo, escolhendo poucos, mas bons, fornecedores que trabalhem em conjunto para compor a solução que o TI interno irá administrar. É importante também cuidar com zelo do relacionamento com esses fornecedores, mas tomando o cuidado de não entregar a governança de TI a um terceiro. 

Banner do holmes: Gerencie processos diversos em uma plataforma multi soluções, de alta estabilidade e fácil utilização.

3- Investir pouco na segurança dos dados 

 Segundo informações apuradas na 9ª edição do Global Information Security, 60% dos participantes da área de segurança cibernética alegou ter sofrido com o aumento de ataques durante a pandemia, mas apenas 36% afirmou ter um plano para reforçar cuidados na área de cibersegurança.

 Apesar da entrada em vigor da LGPD, que está movimentando as organizações e trazendo os assuntos relacionados à segurança para o centro das rodas de discussões, parece que muitas organizações ainda não entenderam a importância da segurança de dados e este é um dos piores erros na gestão de TI, pois pode gerar transtornos inimagináveis tanto para a organização quanto para seus clientes.

 É preciso rever toda a estrutura de segurança de dados continuamente e evitar métodos ultrapassados, assim como criar políticas e treinamentos frequentes de como a empresa deve agir em caso de ciberataques.

 Muitas vezes, na tentativa de economizar, esses cuidados não são encarados com a devida prioridade. Se a equipe interna não tiver o Know how necessário para criar um bom plano de segurança, o que pode ser comum em empresas pequenas e médias, pode ser interessante contratar uma consultoria especializada.  Ainda mais se você precisar de ajuda para se adequar à LGPD. 

Leia também: Aumento de ataques cibernéticos na pandemia acende o alerta: Como garantir a segurança da informação no trabalho remoto?

4- Atuar isolado dos demais setores da empresa

Assim como aconteceu em outros setores, a TI, que durante muito tempo foi vista como um setor operacional, hoje assume um papel mais estratégico dentro das organizações. 

Cassio Dreyfuss, vice-presidente de pesquisas do Gartner Group®, afirma que:

“Com o passar do tempo, a TI deixou de ser uma ferramenta de suporte para ser uma ferramenta de capacitação e criação de negócios”.

Enquanto operacionais, era comum encontrarmos times de TI fechados, vistos pelo restante da organização como um clube exclusivo que só servia para apoiar as necessidades de outras equipes. 

 Hoje o time de tecnologia precisa assumir um posicionamento mais abrangente nas organizações, sendo considerado peça chave para alcançar o diferencial competitivo e garantir a boa execução dos processos de negócios. 

Esse novo comportamento da TI exige que os times se mostrem mais dinâmicos e envolvidos com o restante da empresa. Para isso é importante que o Planejamento estratégico de TI (PETI) esteja alinhado ao Planejamento Estratégico Corporativo (PEC). 

5- Desenvolver muitos conhecimentos técnicos e poucas habilidades interpessoais 

 Em seu livro Promova-se, o autor e sócio de uma consultoria de RH chamada Workplace Intelligence, Dan Schawbel, mostrou que cerca de 59% dos empregadores não contratariam um profissional com QI elevado e baixa inteligência emocional, baseado em informações fornecidas pela Careerbuilder.com. 

 Sabemos que profissionais de TI tem um perfil bastante técnico, isso significa entender de muitas metodologias, estudar frequentemente e acumular conhecimentos sobre tecnologia. Nos primeiros anos da carreira pode ser difícil focar em outra coisa que não sejam as habilidades técnicas, mas conforme o profissional atinge maturidade, é indispensável desenvolver mais habilidades interpessoais, as chamadas SoftSkills

  Habilidades como comunicação, relacionamentos interpessoais, capacidade de liderança e potencial de tomada de decisão são inerentes a área de TI, e a falta de estímulo para que seus profissionais às desenvolvam é uma falha que pode limitar o potencial da equipe.

 Um dos erros da Gestão de TI mais comuns atualmente é manter equipes inteiras de profissionais ainda imaturos, por serem mais “baratos”, que dominam a parte técnica mas ainda não desenvolveram habilidades interpessoais suficientes.

 Claro que esses profissionais precisam de oportunidades e não estamos falando para não contratá-los, mas também é importante ter pessoas mais experientes no time e, principalmente, incentivar toda a equipe a se desenvolver cada vez mais no sentido pessoal.

Banner do holmes: Crie e gerencie processos precisos sem depender de experts em TI

6- Se prender em metodologias tradicionais

 Já imaginou passar 5 anos trabalhando em um projeto com um orçamento de 170 milhões de dólares e chegar ao “final” sem nada relevante para entregar? Essa não é uma história fictícia, mas um capítulo de como um projeto de modernização do sistema de informação do FBI falhou miseravelmente por quase 12 anos.

 Sabe o que fez o projeto finalmente ser concluído? Uma mudança na metodologia utilizada. Os primeiros 12 anos tentando construir a solução através do tradicional “modelo cascata” de desenvolvimento de software foram mal sucedidos, mas em apenas um ano e só 5% do que havia sobrado do orçamento a equipe de desenvolvedores do FBI conseguiu finalizar o projeto por meio de um modelo ágil e criar o sistema Sentinel, usado até hoje pela agência.

 O framework bem sucedido foi o famoso Scrum e essa é uma grande prova de que é preciso conhecer diferentes modelos de desenvolvimento e abrir espaço para novas abordagens. O contrário disso pode significar uma grande perda de tempo e dinheiro.  

Leia mais: Waterfall vs ágil: Como o FBI foi parar no meio dessa batalha?

7- Postergar a modernização de equipamentos e softwares

A pandemia veio para reafirmar o que já sabíamos: a transformação digital é para ontem. Empresas de todos os portes tiveram que se adaptar às pressas para atender novas demandas e o modelo de trabalho trabalho remoto. Quem teve a oportunidade de se preparar com antecedência, digitalmente falando, se saiu melhor nesse desafio.

 Os desafios da TI nesse período foram árduos: desde a criação massiva de uma infraestrutura de home office até o treinamento dos times para uso das ferramentas adotadas. Tudo isso em cerca de 20 dias, antes da quarentena entrar em vigor definitivamente. Tempo recorde para um projeto considerado tão grande.

Segundo Edenize Maron,  gerente geral LATAM da Rimini Street, em entrevista à revista Isto é: “a pandemia da Covid-19 fez com que várias companhias revisassem seus projetos de digitalização de operações. Se antes a conclusão desses processos era prevista para até três anos, hoje os modelos apontam para meses”.

 A revisão e mudança repentina nos processos de trabalho nada mais fizeram do que acelerar as mudanças que já estavam óbvias há muito tempo, mas que por algum motivo foram deixadas para depois.

 Para a TI, mudanças significam muito trabalho, mas também é responsabilidade do departamento lutar pela conscientização dos líderes de outras áreas para que todos se engajem na modernização da infraestrutura de trabalho, pois na indústria 4.0 isso pode significar a sobrevivência do negócio.

8- Erros na gestão de equipe

 Este é um dos erros de TI que mais causam problemas e que menos são falados, talvez porque pareça um problema de RH. Mas não se engane pois aqui o RH age apenas como apoiador, enquanto os gestores diretos são os verdadeiros responsáveis do desenvolvimento dos times.

 Assim, tanto o recrutamento, quanto a promoção de um membro do time deve ser pensada estrategicamente, o que nem sempre acontece. A pior coisa que um líder pode fazer é contratar alguém pela simpatia ou, como vimos neste artigo, somente por habilidades técnicas. O equilíbrio é a chave de uma boa contratação.

 Também é uma péssima decisão promover um profissional antes que ele atinja a maturidade necessária para assumir mais responsabilidades, ou ignorar alguém que merece promoção só porque a pessoa não é tão próxima. Como vimos neste artigo, muitos profissionais da área tem dificuldade em  desenvolver habilidades pessoais, e isso também acontece com os líderes.

 Gestores de TI precisam saber compor a sua equipe de acordo com suas necessidades, considerando que as mudanças acontecem rapidamente e que uma ou outra função precisa de mais ou menos capacitação para ser desempenhada. Para isso é muito importante saber lidar com os diferentes tipos de pessoas, tendo condição de reconhecer talentos e habilidades que realmente são necessárias para cada projeto.

9- Má administração dos recursos financeiros

 O primeiro desafio nesse sentido é conseguir apoio da alta gerência para o financiamento das soluções necessárias. Na mesma citação de Cassio Dreyfuss, que já trouxemos neste texto, ele diz que: 

“Sob essa perspectiva mais ampla e inclusiva, faz mais sentido falar sobre gastos relativos a TI em toda e qualquer iniciativa de negócio e seu respectivo orçamento. Desta forma, o CIO é desafiado a adotar um perfil mais relevante e se engajar ostensivamente em oportunidades para influenciar as decisões de TI nos orçamentos de negócio da empresa”.

 Hoje o gestor de TI é visto como uma peça chave na conscientização sobre os investimentos em tecnologia que devem ser feitos pelas empresas, mas zelar pelo bom direcionamento do orçamento é um grande desafio.

 Para que o gestor seja bem sucedido nessa missão é preciso estar atento às novidades de mercado. Hoje em dia existem grandes players que fornecem tecnologias eficazes e simples e que, acompanhados de uma boa gestão, podem resolver os problemas sem representar projetos grandes, caros e demorados.

 É o caso das soluções low code, que obviamente não resolvem tudo, mas podem representar uma economia considerável de tempo e dinheiro na construção da solução. 

Evite esses erros na gestão de TI e chegue ao sucesso com o seu time

Esses são os erros na gestão de TI que eu achei importante compartilhar com você. Existem diversos outros que cometemos no dia-a-dia, alguns mais técnicos outros mais gerenciais.

 Acredito que os maiores problemas estão sempre relacionados ao mal planejamento e gestão ineficiente das pessoas e recursos. Por isso é importante sempre estar atento a esses pontos, afinal, tenho certeza que a parte técnica você entende melhor do que ninguém.

 Tem mais algum erro que eu não citei aqui e que você acha importante evitar? Deixe aqui nos cometários que eu vou adorar saber. E se você gostou desse conteúdo aproveite para se inscrever na nossa newsletter para receber nossas atualizações diretamente no seu e-mail.